Páginas

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Fugindo de casa








Depois de uma discussão feia com sua mãe, Fabrizia resolveu sair de casa foi correndo para seu quarto arrumar suas coisas e sair logo daquela casa. Sua mãe veio gritando da sala até o quarto dela: - É bom você sair de casa mesmo eu não estou conseguindo mais te aguentar você só me da trabalho. Fabrizia fingiu que nem ouviu, mas aquelas palavras mexeram muito com ela, enquanto sua mãe não parava de falar ela foi colocando algumas roupas dentro de uma mochila terminando de arrumar suas coisas virou as costas para sua mãe e saiu sem falar mais nada. Caminhando pela calçada sem saber a aonde ir ela começa a chorar lembrando-se das palavras que sua mãe tinha dito, pessoas passavam por ela e perguntavam se estava tudo bem, o que tinha acontecido, se elas podiam ajudar em alguma coisa, mas ela nem dava atenção a essas pessoas e seguia seu caminho rumo ao nada, estava começando a escurecer e ela ainda não rua sem nenhum lugar para dormir. –Não quero atormentar minhas amigas então nem vou passar nas casa de nenhuma delas. Fabrizia disse a ela mesma. Fabrizia passa perto de um bosque e resolve entrar e ver se tem algum lugar seguro para ela só passar a noite e no dia seguinte pensar no que ia fazer, ela nota que aquele bosque não era estranho para ela, mas ela não conseguia saber o porquê. Fabrizia encontrou uma clareira e viu que era um lugar seguro para passar a noite, depois de acordar de um dos seus piores sonos ela procura um lugar para lavar o rosto e poder escovar seus dentes, andando pelo bosque ela encontra um riacho e aproveitando lava seu rosto e escova seus dentes nesse momento ela olha pra cima e vê uma ponte então ela resolve subir e ver como é a vista lá de cima. Chegando perto da ponte ela teve aquela mesma impressão que aquela ponte também não era estranha para ela. A ponte era toda feita de madeira e toda pintada de branco. Fabrizia caminhou até o meio da ponte, parou e olhou para baixo, nesse momento veio um filme a sua mente quando ela ainda era uma criança, vinha todos os domingos com sua família para esse bosque para se encontrar com os amiguinhos, fazer piqueniques, brincar com suas bonecas perto do riacho, e ela se lembrou de que foi nesse riacho que ela perdeu sua boneca preferida e que foi nesse bosque e nessa ponte que ela teve seus melhores momentos com sua mãe e foi nesse momento que bateu o arrependimento em Fabrizia de ter tido aquela discussão com sua mãe, ela não pensou duas vezes e voltou correndo para casa. Chegando a casa sua mãe estava no sofá em prantos e pelo estado dela, ela não tinha parado de chorar desde ontem, ao ver sua filha em casa sua mãe levantou correndo e te deu um forte abraço e falou para ela: - Filha eu não queria ter dito aquelas palavras horríveis e você não me da trabalho algum eu te amo demais Fabrizia. Fabrizia no mesmo instante começou a chorar junto com sua mãe. Fabrizia começou a contar para sua mãe que esteve no mesmo bosque que elas sempre iam aos domingos e que se lembrou de cada momento alegre que teve com ela naquele local, e que foi por causa dessas lembranças que ela voltou para casa para pedir desculpas a sua mãe.


Pauta  para Bloíquês

4 comentários:

• cynthia bs disse...

Ai, que legal. Adorei (:

Reeh'Medeiros disse...

muito bom meu bem... muito bom mesmo^^

J.Cesar disse...

ficou muito bom mlke parabens

Jessica *.* disse...

Olá! Gostei da sua história! Muito bonita!
E tbm vim para agradecer pelo comentário ao meu blog "Lamoursda".Como vc descobriu ele? Rs!
Vc me segue?! Puxa,pq não consigo ver? =(

Postar um comentário